Biografia

Nasceu Sandra Cristina Frederico de Sá em Pilares, subúrbio da cidade do Rio de Janeiro.

Anos 70

Entrou para a faculdade de Psicologia.

Conhece grupo de cantores, compositores: Joanna, Solange Boeke, Sarah Benchimol e Fafy Siqueira que passa a inscreve-la em vários festivais pelo Rio de Janeiro.

Sua canção “Morenando” foi gravada por Leci Brandão, o que catapultou seu sucesso.

Anos 80

Como resultado da amizade com João e Lucinha Araújo, pais de Cazuza, foi inscrita no Festival MPB, da Rede Globo, onde classificou a música: "Demônio Colorido", entre as dez finalistas.

Foi contratada pela gravadora RGE, onde Cazuza trabalhava como divulgador.

Gravou o LP Demônio Colorido, pela RGE.

Trancou a matricula no 9º período da faculdade de psicologia.

Lançou o LP "Sandra Sá", onde gravou, pela primeira vez “Olhos Coloridos”, canção do compositor Macau.

Lançou o LP "Vale Tudo" que teve a participação especial de Tim Maia.

Nasce Luiz Jorge Frederico de Sá, seu único filho. Cazuza foi escolhido como padrinho.

Obteve sucesso ainda maior com "Enredo do Meu samba", de D. Ivone Lara e Jorge Aragão, música de abertura da novela “Partido Alto”.

Lançou o álbum Sandra Sá.

Tornou-se uma das maiores cantoras de trilha e aberturas de novela, como "Enredo do Meu Samba", "Picadinho de Macho" entre outras.

Lançou o álbum Sandra de Sá.

Lançou o álbum Sandra Sá.

Surgem os maiores "hits" de sua carreira, as músicas "Retratos e Canções", "Joga Fora", "Bye Bye Tristeza", "Solidão" e "Não Vá".

Troféu Imprensa: Melhor Música: Solidão.

Prêmio Sharp: Melhor Cantora.

Prêmio Sharp: Melhor Disco.

Anos 90

Gravou com Djavan, Marina Lima, Carlinhos Brown, Titãs, coral Gospel Monte Mariah (USA), Herbert Viana, entre outros.

Gravou os sucessos "Vamos viver", "Soul de Verão", etc.

Gravou um CD em homenagem ao "Tim Maia", sucesso de crítica.

Criou a expressão "Música Preta Brasileira", brincando com a sigla MPB - Música Popular Brasileira.

Troféu Imprensa: Melhor Cantora.

Lançou o LP Sandra!

Lançou o álbum "Lucky!".

Prêmio Sharp: Melhor Cantora.

Lançou o LP D'Sá.

Lançou o LP "Olhos Coloridos", onde fez uma releitura de seus grandes “hits” como: “Bye, Bye Tristeza”, “Joga Fora”, “Vale Tudo” e “Olhos Coloridos”.

No CD "A Lua Sabe Quem Eu Sou", lançou o “hit” "Sozinha" do compositor Peninha. Soul de Verão, versão de Nelson Motta.

Prêmio Sharp: Melhor Música: Sozinha.

Lançou o CD "Eu Sempre Fui Sincero, Você Sabe Muito Bem", onde canta canções de Tim Maia como “Sossego”, “Eu Amo Você" e outras.

Anos 2000

Gravou o CD "Momentos que Marcam Demais" com participações especiais de Falcão (O Rappa), o rapper Gabriel O Pensador e Cássia Eller.

O show “Momentos que Marcam Demais” foi escolhido para a festa "Brasil 500 anos" em Miami/USA.

Dentre os shows de sua turnê, fez um dos espetáculos mais comentados do festival Rock in Rio pela sua memorável participação na Tenda Brasil.

Participou do evento "Independence Day" em NY/USA.

O termo “Música Preta Brasileira” deu nome para o projeto musical alternativo que Sandra desenvolveu de 2001 a 2005 ao lado de Toni Garrido e Zé Ricardo, cantando músicas de Tim Maia, da fase Racional, e de Jorge Benjor, do disco "Tábua de Esmeralda".

Participou dos CDs " Os Melhores do Ano III" e “Um Barzinho e Um Violão".

Gravou o CD "Pare, Olhe, Escute" em homenagem à Motown, com uma seleção de grandes sucessos, todos versionados em português, com participações de Djavan, Smokey Robinson e do rapper Rappin Hood.

Desenvolveu, com a atriz Danielle Suzuki, a ação social "Natal + Colorido", onde arrecadavam brinquedos e livros para distribuição às comunidades carentes, feita por Sadra ao vivo.

Lança o CD "Música Preta Brasileira".

Comemorou 25 anos de carreira com seu primeiro CD ao vivo, com participações de Alcione, Toni Garrido, Luciana Mello e Gabriel O Pensador.

Saiu em turnê pelo Brasil e países como Portugal, África (Cabo Verde) e EUA.

Participou do Vivo Open Air, em Rio, São Paulo.

Foi homenageada por moradores, sendo votada por unanimidade, num pleito feito pela Secretaria Municipal do Rio de Janeiro para dar nome à maior Lona Cultural da cidade, espaço para entretenimento e educação em Santa Cruz, na zona oeste.

Estreiou no teatro com a peça "No Pé da Árvore de Natal" ao lado de Miguel Falabella e Stela Miranda.

Participou do seriado "Sob Nova Direção", com as atrizes Ingrid Guimarães e Heloísa Perissé.

Lançou seu primeiro DVD, que fora gravado em 2003.

Em Portugal, cantou em dueto no show do artista Pedro Abrunhosa o sucesso "Eu não sei quem te perdeu". Também participou do evento "Optimus Open Air", que reúne cinema e música. O Rapper Cabo-verdiano AC participou do seu show.

Foi à França para shows no evento "Ano do Brasil na França".

16º Prêmio da Música Brasileira: Melhor Cantora de Pop/Rock.

Atuou no filme "Antônia", da diretora Tata Amaral que mostrou histórias da vida de cantoras de rap da periferia de São Paulo. Que virou seriado, produção independente do cineasta Fernando Meirelles, na Rede Globo.

Participou do “Rock in Rio Lisboa”.

Durante a Copa do Mundo, em Berlim, deu canja com Ivete Sangalo e fez show no "Projeto Copa da Cultura" ao lado de Gilberto Gil, Expresso 2222, carnaval da Bahia, do qual participa há mais de dez anos.

Esteve em alguns países como Portugal, Cabo Verde e Estados Unidos, além da África, promovendo o seu CD e DVD "Ao vivo".

Fez shows pelo Brasil.

Iniciou o projeto de pesquisa "Batucofonia", com o qual fez uma temporada de shows pelo Rio.

Promoveu pelo Brasil o filme "Antônia", fonte do seriado lançado no ano anterior pela TV Globo.

Fez shows com Monobloco, Toni Garrido, Simoninha, Carlinhos Brown, Alcione, Frejat, Margareth Menezes, MV Bill, Serjão Loroza, Dora Vergueiro, Sampa Crew entre muitos outros.

Participou do DVD dos Meninos do Morumbi e Sampa Crew, ambos em SP.

Fez o show de encerramento dos Jogos Parapan-Americanos no RJ.

Trabalhou no projeto "Quilombola", visitando quilombos pelo Brasil e participando das ações da Fundação Palmares e do Seppir.

Foi convidada para representar a classe artística na PEC de Música, em Brasília.

Continuou o processo de pesquisa e composições para o seu novo CD e entrou em estúdio.

Participou, em Salvador, do Expresso 2222, com Toni Garrido e do Bloco Skol, com Adelmo Casé.

Foi convidada pelo presidente da FIOCRUZ e Ministro da Saúde, para fazer parte da CNDSS - Comissão Nacional de Determinantes Sociais da Saúde.

Fundou, com um grupo de artistas, intelectuais e formadores de opinião, a AABRARTE, Academia Afro-brasileira de Arte.

Recebeu o prêmio da Afrobrás.

Foi escolhida, ao lado de Margareth Menezes, representante da Festa da Consciência Negra, promovida pela Prefeitura de Palmares, com apoio do Governo de Alagoas.

Participou da Exposição "Mulheres", interpretando Chiquinha Gonzaga.

Como diretora musical, produziu e desenvolveu o show do compositor e parceiro Macau, que resultou em um show no "Festlip-Festival Internacional da Lingua Portuguesa", com artistas da música africana, no Circo Voador.

Cantou com Arlindo Cruz na Fundição Progresso.

Participou do show de gravação do DVD "Cazuza 50 anos" na Praia de Copacabana.

Teve seu show escolhido para a inauguração da Casa de Arte de Quissamã e para o aniversário da Cidade de Petropólis.

Participou do show promovido pela rede Globo, "Natal Sem Fome dos Sonhos" - parte do movimento Ação & Cidadania.

Fez o show "Natal Alles Blau Blu", reunindo artistas amigos em Blumenau em homenagem à população carente atingida pelas chuvas.

Se dedicou à produção e direção musical do CD “Macau, Do Jeito que Sua Alma Entende”, primeiro disco do compositor de “Olhos Coloridos (Sarará Crioulo)”, hit lançado por Sandra em 1982.

Lançou seu novo CD AfricaNatividade - Cheiro de Brasil (pela Universal Music, em parceria com a Nega Produções).

Foi uma das homenageadas da Mangueira sob o enredo "MANGUEIRA É MÚSICA DO BRASIL", na ala "TROPICÁLIA" que representou os Festivais de Música e a Tropicália e se apresentou ao lado de Milton Nascimento no Carro Alegórico.

Estreou como intérprete oficial da Leandro de Itaquera, ao lado de Betto Muniz, em São Paulo.

Fez shows no Camarote do Bar Brahma, em São Paulo e no Terreirão do Samba, no Rio de Janeiro.

Participou do Verão do Morro da Urca, no show do Baile do Simonal ao lado dos irmãos Max de Castro e Simoninha, e Moinho da Bahia.

Partiu em turnê com seu último álbum.

Comemorou 30 anos de carreira.

Foi convidada pelo Ministro da Saúde, para fazer parte da CNDSS – Comissão Nacional de Determinantes Sociais da Saúde. Fundou, com um grupo de artistas, intelectuais e formadores de opinião a AABRARTE: Academia Afro-brasileira de Arte.

Recebeu um prêmio da Afrobrás e foi escolhida, ao lado de Margareth Menezes, como representante da Festa da Consciência Negra, promovida pela Prefeitura de Palmares, com apoio Governo de Alagoas.

Criou com Daniele Suzuki a “CJP-Conexão Japa Preta”, com reuniões e encontros entre compositores e artistas de todas as artes e gerações, nacionais e internacionais.

Lançou “Africanatividade, 30 anos, ao vivo”, CD e DVD, gravado na Quinta da Boa Vista, que teve participações especiais de Elba Ramalho, Alcione, Maria Gadú, Caetano Veloso e João Donato.

Participou do projeto "Playing For Change" que reúne músicos de todas as partes do mundo para cantar pela Paz.

Lançou “O Baculeju da DeSá”, projeto que reúne em palcos de várias cidades do país, importantes artistas de todas as gerações, consagrado na Fundição Progresso com a presença de artistas como Serjão Loroza, Seu Jorge e Buchecha.

Participação no álbum "Tudo é Festa", MC Marcinho.

Participação no álbum "Do jeito que sua alma entende", Macau.

Edições do projeto “O Baculeju da DeSá” no Morro da Urca, com a presença de Toni Garrido, do Grupo Melanina Carioca, Macau e Bruno Silva e no Vidigal, com a participação de Macau, Thiago Thomé e do Grupo Melanina Carioca.

Participou do álbum "Música para Churrasco, ao vivo, vol I", Seu Jorge.

Criação e gravação de seu EP, “Lado B”, com importantes canções “lado B” de seus mais de 15 LPs e Cds de carreira. Nos últimos anos, tem apoiado o projeto de música com crianças e adolescentes do CCC (Centro Cultural Cartola), a montagem da turma de flautas e ações da "CUFA" como o lançamento "Falcão - Mulheres do tráfico".